Contador de Visitas
Segunda-feira, 4 de Maio de 2015
Para meditar

AS CRIANÇAS                            

 

   Tanto se fala nas crianças e nos direitos que elas têm ou que elas deveriam ter, mas na hora de fazer algo por elas todos se esquecem que as mesmas existem.

As Instituições existem para viverem delas, os governantes falam nelas para poderem atingir os seus objectivos, os vizinhos desconhem a sua existência e até os próprios familiares as abandonam ao sabor da sorte seja ela boa ou má.

Há por acaso na vida, coisa mais linda que o sorrriso de uma criança?

Já pensaram que não é preciso muito para fazer uma criança "Feliz"?

Lembrem-se só que tambem já fomos "Crianças" e, como é belo ver uma criança a sorrir e a brincar, - quais "Borboletas" a enfeitar um jardim pousando nas papoilas encarnadas contrastando com as suas variadas cores; assim sãos as crianças quando estão felizes.   Também já fui criança e como eu era feliz ao fazer os meus próprios "Brinquedos". Há dias fiquei estupefacto e feliz por ver ali mesmo junto ao Coliseu de Lisboa diversos grupos de crianças, acompanhadas como é normal com as suas educadoras e coisa rara um dos grupos levava a acompanhá-los uma agente da Polícia de Segurança Pública e como ela ia atenta ao serviço que ali ia a desempenhar.

   Por isso lembrem-se que é fácil fazer feliz uma criança

publicado por Alegria às 18:33
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 1 de Maio de 2015
Momento de Poesia

Depois de Te Haver Criado, a Natureza Pasmou

  A mãe, que em berço dourado

Pôs teu corpo cristalino,

É sup'rior ao Destino,

Depois de te haver criado.

Quando Amor, o Nume alado,

Tua infância acalentou,

Quando os teus dias fadou,

Minha Lília, minha amada,

A mãe ficou encantada,

A Natureza pasmou.

   Deve dar breve cuidado,

Motivar grande atenção,

A um Deus a criação,

Depois de te haver criado.

Deve de ser refinado

O engenho que ele mostrar

Desde o ponto em que criar;

Cuide nisto a omnipotência,

Porque, ao ver a sua essência,

A Natureza pasmou.

   Ao mesmo Céu não é dado

(Bem que tanto poder goza)

Criar coisa tão formosa

Depois de te haver criado.

Naquele instante dourado,

Em que teus dotes formou,

Apenas os completou,

Arengando-lhe o Destino,

Em um êxtase divino

A Natureza pasmou.

  O Céu nos tem outorgado

Quanto outorgar-nos podia;

O Céu que mais nos daria

Depois de te haver criado?

Ninfa, das Graças traslado,

Ninfa, de que escravo sou,

Jove em ti se enfeitiçou,

Cheio de espanto e de gosto,

E absorta no teu composto

A Natureza pasmou.

  O teu rosto é adornado

Dos prodígios da beleza;

Foi um deus a Natureza

Depois de te haver criado.

Pôs em teu rosto adoçado

O que nunca o Céu formou;

Ela a Jove envergonhou

Nesse deleitoso espanto,

E de ter subido a tanto

A Natureza pasmou.

  Todo o concílio sagrado

Do almo Olimpo brilhador,

Subiu a grau sup'rior

Depois de te haver criado.

Da meiga Vénus ao lado

O teu ente a nós baixou,

Ente que Jove apurou,

Ente de todos diverso;

Assombrou-se o Universo,

A Natureza pasmou.

 

Manuel Barbosa du Bocage

publicado por Alegria às 22:06
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.posts recentes

. Album de Sabedoria

. Album de Sabedoria

. Provéfbios e adivinhas

. Provéfbios e adivinhas

. Proverbios e Adivinhas

. Provérbios e Adivinhas

. Album de Sabedoria

. Album da Sabedoria

. Album da sabedoria

. Album de Sabedoria

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

.favoritos

. Momento de Poesia

.links
contador de visitas gratis
Contador de Visitas
blogs SAPO
.subscrever feeds